E fiz 60. Já está e não custou nada.






Fiz 60 esta semana. Esta semana, simbolicamente, resolvi usar esta fotografia para ilustrar este texto. Fico sem jeito mas vamos lá. 

E ponho aqui esta fotografia por várias razões. 

A primeira é porque gosto dela. Gosto dela porque acho que estou bem e estou bem porque não dei por ela. 

O "sem dar por ela" pode ilustrar a minha vida. A vida tem-me levado "sem eu dar muito por ela". E eu, felizmente, tenho tido a capacidade de a ouvir e de me deixar ir. 
Se tivesse refreado o que a vida tinha para me dar, ou melhor, se tivesse ouvido as vozes dos outros, não tinha feito nada do que fiz. Claro que o "sem dar por ela" correu bem porque a minha vida foi "mãe". Fosse madrasta tinha sido uma desgraça. 

O que é estranho, dada a minha incapacidade para ouvir e para me deixar ir. Sou uma controladora nata. Bem sei que não devia dizer isto de mim, assim.. mas é verdade. Tenho a mania que a minha vida sou eu que controlo. Estou grata à vida porque me tem conseguido levar ... com o jeitinho próprio de quem consegue milagres. "Sem que eu dê por ela". 

A segunda porque estou a ilustrar este texto com a realidade. 

A fotografia foi tirada no dia dos meus anos. Está sem filtros. E é assim que tenho vivido. Tenho-me permitido dizer sempre o que penso. Nunca fiz fretes. Nunca fingi gostar de quem não gostava. Nunca pedi favores. Exigi sempre, umas vezes com mais outras com menos jeito, os meus direitos. Estou grata à vida por me ter dado a coragem necessária. 

A terceira porque estou a dar a cara. 

Gosto e faço questão de "dar a cara". Bem sei que posso tornar-me chata, repetitiva, por vezes até "pesada" na defesa daquilo em que acredito. Sempre o fiz com bastante afinco. Muitas das vezes defendi causas que não faziam parte das causas da maioria que me rodeava. As causas têm trazido gente nova à minha vida. Estou grata à vida por me ter mostrado a importância de lutar por causas. 

E já lá vão 60!! Parece que sim, mas também parece que não. 

Teria alguns balanços para fazer. Já vivi várias vidas, cada uma mais incrível do que a anterior. Cada uma a fazer pensar que incríveis os caminhos que a vida me tem permitido viver. Se tem sido fácil? não. Tem sido intenso e pleno. 

E não é que a vida ainda me ofereceu o mais nobres dos propósitos? e não é que me permitiu deixá-lo em herança aos meus filhos? Aconteça o que acontecer esta herança é certa e enorme. E aconteça o que acontecer sei que a vão aceitar, continuar, acrescentar e melhorar.

Falo da luta pela defesa da natureza e deste maravilhoso planeta.  

Tenho novos projetos para os próximos 10 anos. Outra vida. Outra vida para onde a vida me empurra "sem dar por ela". Outra ideia maluca. Tivesse eu ouvido os outros e não o faria. Mas com tantas provas dadas como podia eu dizer que não? e lá vou eu de braço dado com a vida que me calhou viver. E que grata tenho que estar!  


Sem comentários

Enviar um comentário

© A vida de uma alface
Design:Maira Gall.