Um Blog para uma alface biológica

Escolhi o dia do Equinócio da Primavera para “lançar” o meu Blog. Foi de propósito.
Este é o dia em que festejamos o Ano Novo aqui na horta. Se há um dia no campo em que tudo começa do zero é este.
Adoro novas oportunidades, recomeços, renovações. Tinha que ser hoje o dia.
Escolhi ser uma alface porque estou para este projeto como as nossas maravilhosas alfaces estão para a nossa horta. Sempre presente.
A minha vida é tal qual a vida de uma alface ou quase.
Nós as alfaces aguentamos estoicamente os dias frios e escuros de Inverno. Um bocadinho mais rijas e com algumas mazelas da humidade, mas continuamos a servir perfeitamente para a função.
Chegamos à Primavera e rejubilamos, dias luminosos de sol morno aquecem a nossa alma e dão alento. A explosão da horta chega às nossas vidas.
No Verão não nos falta vontade de ir de férias mas sabemos que é a altura em que fazemos mais falta e vamo-nos deixando ficar, não conseguimos conceber salada sem a nossa presença.
No Outono também sofremos de nostalgia, tem dias em que pomos em causa o nosso papel, ficamos meias desmaiadas e perdemos alguma graça mas resistimos e pedimos que nos ajudem com alguns suplementos alimentares naturais, claro.

A vida de uma alface biológica, que eu tento imitar a todo o custo, vistas bem as coisas, comparada com as colegas convencionais, é um luxo. Ninguém as obriga a crescer à força, é-lhes dado tempo para desfrutar de todas as etapas da vida. Têm uma alimentação premium. Tudo natural, sem corantes nem conservantes. Quem dera muita gente comer assim.
Quando estão meias adoentadas têm medico em casa e os medicamentos, ou são mezinhas caseiras ou remédios naturais, muito dispendiosos mas que respeitam a natureza.
Quase todos os dias têm visitas e sempre gente que se preocupa com elas. No Inverno ficam dentro de casa e pomos-lhes mantas por cima quando está muito frio. Quando o tempo começa a aquecer vão para a rua e ficam todo o Verão ao sol.
Quando as ervas começam a nascer à sua volta, são mondadas com todo o cuidado para não as beliscar.
E é com todo o cuidado que são colhidas para que cheguem ao destino maravilhosas.

Não sendo eu um vegetal nem um habitante da horta, tenho muito de alface. E alface por alface, sem duvida, quero ter a maravilhosa vida de uma alface biológica.

9 comentários:

  1. Adorei! Excelente começo. Boa sorte e tudo de bom.

    ResponderEliminar
  2. Parabéns Luisa! É mesmo o dia perfeito para começar, adorei. Boa sorte e um beijinho, Sofia Paixão

    ResponderEliminar
  3. Então, bom ano novo e muitas felicidades para este novo projecto!

    ResponderEliminar
  4. Já me juntei aos leitores! :) E adorei este começo... tão bom.
    Beijinhos e parabéns pelo blog*

    ResponderEliminar

© A vida de uma alface
Design:Maira Gall.