O Restaurante



Um enorme dilema.
Depois de muito pensar, pedir opiniões, juntar o melhor bom senso, refletir sobre os prós e os contras, decidimos não abrir o restaurante.

Pensando em:
Quem somos
O que sentimos fazer sentido neste momento.
a conclusão foi: vamos fechar.

Quem somos
Somos uma empresa agrícola.
produzimos alimentos, essa é a nossa alma, o nosso orgulho, a nossa missão.
Entregá-los porta a porta a essência de tudo isto. Levar a casa de cada um o que fazemos com tanto orgulho e dedicação, desde o dia em que deitamos a semente à terra até ao dia em que colhemos pronto a ser consumido, acreditem, é o que nos faz andar por aqui.

Um dia resolvemos abrir um espaço para acolher os amigos, onde servimos refeições usando os produtos que vêm da nossa horta
Não somos profissionais de restauração, nunca tivemos essa pretensão. Na verdade nem sabemos fazê-lo como eles. Houve vezes em que senti que esse desconhecimento nos dificultou a vida, outras vezes achei que não era assim tão importante, porque o que nós queríamos mesmo era poder receber amigos em casa.

O que sentimos ser importante neste momento,
Focar todo o nosso esforço e dedicação na produção. Tentar manter saudável (sob todos os pontos de vista) o que realmente é mais importante.
Preferimos não abrir este espaço, o nosso restaurante, porque é um espaço "de fim de semana" onde normalmente vêm muitos grupos de amigos, onde é normal haver mesas cheias de gente, onde faz sentido ter a "casa cheia".
Onde não vai ser possível sentar um grupo de amigos a uma mesma mesa, onde as crianças não se vão poder cruzar com as das mesas vizinhas, onde é preciso receber todos de máscara e pedir a todos que a usem também, aqui no campo... não nos faz sentido.
Não conseguimos pensar este restaurante sem grupos de amigos, com máscaras, com as crianças "presas" às mesas. Não ia resultar.
Não conseguimos pensar, nem conseguiríamos rentabilizar.

Podemos tomar esta decisão porque temos a enorme sorte, o enorme privilégio, de sermos agricultores, de ser essa a nossa atividade principal.
Nem quero pensar na angustia que é ser profissional de restauração neste momento.

Um dia havemos de conseguir voltar.





Sem comentários

Publicar um comentário

© A vida de uma alface
Design:Maira Gall.