Criticar a Greta é fácil?



Um tema que bem visto tem tudo a ver com a época que celebramos por estes dias.

Porque será que uma miúda que afinal só diz verdades, causa tanta controvérsia?
Fico espantada com o incómodo que causa em adultos com idade para serem seus avós. Estranho as críticas que lhe fazem como se fosse alguém cheio de más intenções. Afinal é uma miúda que começou a sua luta sozinha, sentada num passeio à frente do parlamento sueco, que só quer "salvar o mundo".
Obsessiva? talvez. Uma obsessão que não prejudica ninguém, bem pelo contrário, é um alerta constante para o mal que andamos a fazer à nossa Terra, à nossa casa.
E que andamos a fazer mal, acredito que ninguém, excepto gente alienada, põe em causa.
Obsessiva ao ponto de não usar o avião, obsessões próprias da adolescência, quando ainda se pensa que conseguimos fazer tudo sozinhos.
Outro dia li isto algures e resume bem o que se está a passar.
"Ao ver o que vocês escrevem sobre a Greta, tenho a certeza de que, se já existissem redes sociais, Cristo teria sido crucificado, Joana d'Arc teria sido queimada na fogueira, Maria Antonieta teria sido decapitada, Luther King e Gandhi teriam sido assassinados."
A vida dos heróis nunca foi fácil. Só a História os reconhece. É assim a humanidade.

Criticar a Greta, num mundo de tanta coisa errada, não faz qualquer sentido.
Mesmo que não fosse de tão grande importância a causa pela qual luta, só o facto de conseguir juntar tantos jovens num caminho que é o do bem, já tinha valido a pena.

Mas o que importa é que esta é uma causa maior e o que ela faz ajuda a acreditar que não vamos desistir.
O que importa é que depois de tantos anos de apatia juvenil, voltam a unir-se milhões de jovens e desta vez para tentar salvar a humanidade da sua própria ganância, e isso ajuda a acreditar que é possível.
O que importa é que pela primeira vez não são os partidos que comandam, não é um movimento de uma classe, são milhões de jovens a lutar por uma mesma causa, e isso ajuda a acreditar que o poder vai aprender a lição.
O que importa é que pela primeira vez na história são os mais novos a dar o exemplo aos mais velhos, e isso ajuda a ter esperança.
O que importa é que, mesmo que já seja tarde demais, não se desiste de tentar, e isso é uma lição de vida.
O que importa é perceber que criticar a Greta é criticar os nossos filhos quando decidem tomar o caminho do bem.




Sem comentários

Enviar um comentário

© A vida de uma alface
Design:Maira Gall.